Dra. Miriam Baldin CROSP 40.975

FRATURAS DENTAIS

FRATURAS DENTAIS

Fraturas dentais

Geralmente são consequência de traumatismo sofrido pelo paciente
 

Tipos de fraturas

São classificadas de acordo com o grau de comprometimento de dente:

- pequenas fraturas que comprometem apenas parte do esmalte;

- fraturas maiores que comprometem parte do esmalte e da dentina;

- fraturas totais, que comprometem toda a corôa do elemento dental.
 

Opções de tratamento:

Vai depender do tipo de fratura. 

1- Colagem de fragmento dental:

É muito importante, em fraturas maiores, o paciente checar se o fragmento perdido pode ser recuperado. Caso encontre o fragmento, o mesmo deve ser mantido hidratado (água, leite, dentro da boca com saliva) até a hora de ir ao dentista.

Em muitos casos, o fragmento fraturado pode ser recolocado no dente através de colagem (dependendo do estado em que ele se encontra), devolvendo assim a estética e a função da maneira mais natural possível.

2- Fraturas apenas de porção do esmalte:

Em caso de fraturas apenas do esmalte,  restaura-se a porção fraturada com resinas compostas, geralmente sem desgaste nenhum ao elemento dental.

3- Fraturas com envolvimento do esmalte e da dentina:

Quando a fratura for maior e envolver a dentina, é imprescindível a radiografia para checar se houve comprometimento do nervo ou fratura da raiz.

Em alguns casos, é necessário o tratamento endodôntico prévio.

Caso não tenha problemas com a inervação do dente, pode-se proceder a restauração com resina composta e o mesmo deve ser monitorado radiograficamente de 06 em 06 meses, no máximo.

4- Fratura total da corôa

Em caso de fratura total, o dente inicialmente precisa de tratamento endodôntico e um núcleo de reforço (fibra de vidro ou metálico), e posteriormente  adapta-se uma corôa protética.

 

Voltar

Av. Dr. João Palma Guião, 715 - Alto da Boa Vista CEP:14025-350 - Ribeirão Preto (SP)

(16) 3635.6320

(16) 3635.0662

Cel. WhatsApp (16) 98175 0520

Trip Propaganda